Não é deixar pra trás, é viver


Eu estava tão bem na noite passada, mais de repente você apareceu e segurou a minha mão. Como se parasse pra dizer olá. Você me olhou nos olhos e me desejou boa sorte. Não poderia imaginar que eu ainda sou louca por você. Que cada gesto seu, por mais inocente que seja, me faz relembrar coisas que tento desesperadamente esquecer.
Lembro-me da época em que nós éramos um casal feliz, das suas juras de amor pra mim. Dos nossos planos, nossos projetos. Lembro-me do quanto “nós” queríamos tudo isso. Mas, tudo mudou de repente. Seus olhares para mi  já não era mais da mesma forma, suas palavras eram doces e lindas, mas o jeito com que as pronunciava parecia-me tão supérfluo. O que aconteceu com o nosso amor? Lembro-me que você me dizia que tinha um medo muito grande de me perder. Mas e agora? Aonde foi parar esse medo. Será que você encontrou outra pessoa pra segurar a sua mão no escuro e guiar os seus passos? Bem, eu nunca saberei, pois você foi embora tão repentinamente.

Então, agora, depois de tanto tempo, depois que a minha ferida estava cicatrizando você simplesmente reaparece das cinzas e se acha no direito de segurar a minha mão como nos velhos tempos. Não, eu não me permitirei cair no mesmo erro. Dizem que errar uma vez é normal, mais permanecer nele é burrice e até onde eu sei, sou inteligente demais para fazer tamanha idiotice comigo mesma. Pois então, faça um favor a mim e principalmente a você. Vá embora sem olhar pra trás e siga o seu caminho. Obrigada


0 comentários:

Postar um comentário